Tempo | inaê moreira | 2018 | 0'57"

Criação / Performance: Inaê Moreira

Colaboração / Collaboration: Esteban Esquivel e João Aleixo

Câmeras / Cinematography: Isabel Scorza

Edição / Edited by : Isabel Scorza, bella

Som / Sound by: bella

Agradecimentos / Acknowledgments:

CRD São Paulo

Uma margem do atlântico vem ecoar memórias e presenças negras. A areia, fragmento do que já foi e pode voltar a ser rocha, instaura no corpo da performer a manifestação de um tempo que sempre retorna. Tudo se move para desmoronar silenciamentos seculares, ruir a arquitetura da opressão colonial, e sedimentar o direito de viver em liberdade. Este rito é um dispositivo de conexão ancestral, uma experiência de renascimento, um ato de coragem.

_

The Atlantic margin echoes black memories and presences. The sand, a fragment of what once was and may once again be rock, establishes in the performer's body the manifestation of a time that always returns. Everything moves to collapse secular silences, crumble the architecture of colonial oppression, and sediment the right to live in freedom. This rite is an ancestral connecting device, an experience of rebirth, an act of courage.